<$BlogRSDUrl$>

sexta-feira, fevereiro 27, 2004

Após longos dias de ausência e lendo as enquetes hj pela manhã, só posso dizer duas coisas:

1. A Blum já foi apaixonada por uma massagista.
2. L‘occitane é o Café Photo das lésbicas.

CARNAVALÉS 2004

A avenida treme quando elas entram. Deve ser por causa do tamanho dos pés, tentando sambar. Caprichosas da Pilinga, Beija-flor-de-lótus, Lesbiandade Independente, Bissexual Leopoldinense, Viradouro (famosa por suas héteros recém-convertidas).
Depois de um desfile histórico, o primeiro Carnavalés do Rio de Janeiro consagrou como campeã a União de Ilha de Lesbos, com o enredo “Das Amazonas à Amazônia – A história das matas brasileiras”, que contava com as comissões de frente de Cláudia Ohana, Vera Fisher e Vange Leonel.
O desfile começou com as primitivas habitantes do Brasil, num carro chamado “A majestade o sabiá”, onde Roberta Miranda desfilava como destaque, pelada. Pode-se dizer que este era o verdadeiro abre-alas, já que ninguém suportava ficar na frente daquela cena. Mas Bob tinha torcida, Dercy apoiou totalmente o nu da musa.
Logo atrás vinha o carro “Idade Moderna – Do Cool ao Cu”, com Marina Lima e uma cobra rolando num ringue de gel, com seus cachorros.
A madrinha da bateria foi Ana Carolina, com 498 mulheres de bom gosto tentando bater nela.
A mestre-saia e a porta-bandeja representavam um lesbian drama, girando loucamente com as mãos na cabeça, encharcando o estandarte da escola de lágrimas.
Impressionante a ala das Baianas, onde a terceira idade desfilava feliz, com uma alegoria de farol na cabeça e pochetes na cintura, por cima do camisão rodado.
Outro quesito que ganhou nota 69 (o júri pode dar notas de 44 a 69) foi o de Harmonia com Ex-namorada, onde uma ala inteira, composta por 134 mulheres que já tinham se beijado, desfilavam abraçadas sob o tema “2 graus de separação”.
Aqui, o samba-enredo da União da Ilha de Lesbos:

Foi há 500 anos
Que a mulher começou a se depilar
Da pedra lascada à tesourinha
Algumas matas se decidiu preservar

Regozijadamente
Eu vou com a União ser campeã
Deixa meu amor,
Deixa a barba crescer
Com todo o amor natural, natural!

Ê Maurício de Nassau

Quando uma mulher cola na outra
Deixa a mata crescer
Mas quando se separa
Um rio de lágrimas
Não deixa mais florescer

E regozijadamente
Eu vou com a União ser campeã
Bumbum praticundum
Deixa a barba crescer
Com todo o amor natural, natural!

(refrão)

Depois elas chegam na apoteose juntas porque se amam e vão embora porque ninguém ali quer ver a Mangueira entrar.

quinta-feira, fevereiro 26, 2004

A quaresma já começa com uma enquete.
É que eu passei muito tempo sem ter o que fazer, aí aproveitava pra tentar entender o ser humano e a ser humana.
A pergunta é:
Qual a diferença de pagar para ter sexo e de pagar para ter carícias, ou seja, uma massagem?
Se a namorada de vcs paga por uma massagem, vc tem ciúme? E se ela paga por sexo?
E me expliquem com lógica e razão: por que?

pentimentomente,


sexta-feira, fevereiro 20, 2004

MAIS DE MIL SAPATAS NO SALÃO

Confetes e serpentinas voavam pelo salão. Confetes pra lembrar seus olhos, verdes-morto. Serpentina para lembrar o movimento da sua língua, longa e lenta (lambilenta, drummond?) A Pierrot-mossexual andava desconsolada, com vontade de não viver, derretida, arrastada no rabo de um trem humano. Ia sufocando a dor numa manga de camisa cheia de lança-perfume, inalando até a luz se apagar, nem que por alguns segundos, porque embora parte da fantasia, a lágrima era verdadeira. Abandonada por sua Colombina, a pombinha hetero que por um momento a confundiu com o homem da sua vida, mas que depois desistiu, foi pra lov.e, tomou ecstasy demais, demais, mais do que seu pobre corpinho poderia aguentar e se rompeu por dentro, como agora fazia o coração da Pierrot-mossexual. Mas tudo bem, agora é carnaval, a banda toca uma marchinha antiga e a moça do trombone parece ostentar uma bela embocadura e fôlego para permanecer vários minutos sem respirar. Vou lá meter a boca, pensou, que hoje a quarta-feira é de cinzas, mas o próximo feriado é sexta-feira da paixão, é preciso fazer o trem andar e varrer os copos vazios, os lenços usados e os mil palhaços deste salão.

O sapatinha porque estás tão triste
Mas o que foi que te aconteceu
Foi a paquera que caiu na pista
Cheirou um ecstasy
Depois morreu

melancolicamente,


quarta-feira, fevereiro 18, 2004

Entendo seu problema. Ciladas da vida critica.

Você já é lésbica e ainda fala palavrão? Assim não dá. Lésbica e ainda faz essas brincadeiras?
Lésbica e vai a uma reuniao de terninho, como pode? Ou entao, olha, ela foi de vestido pra disfarcar.Deve ter algum manual por ai que deve ensinar uma lesbica a se vestir e a se portar, sem se encaixar nos demais padroes e sem agredir a sociedade.

A LÉSBICA E A REUNIÃO DE NEGÓCIOS

veja bem, é difícil pra mim usar terninhos. não sou capaz de vestir essas coisas que toda a mulher perua usa com naturalidade. além disso, tenho também dificuldades com o uso diário de scarpins e outras roupas não agressivas e sem personalidade que cairiam transparentemente no assunto de uma reunião. sendo que não posso exagerar na sobriedade, nem na feminilidade, nem na agressividade, nem na modernidade, nem na falta de, o que vcs acham que eu deveria vestir numa reunião de negócios, caras editoras?

mariposinhamente,


terça-feira, fevereiro 17, 2004

pronto. overdose de galerias pra vcs

clique e veja a galeria de fotos do :: MeNiNaS PeRdIdAs Se EnConTrAm NuM ChA CoM BoLaChAs ::


olá pessoais!

Nesta quarta-feira, 18 de fevereiro
tem mais um especial do


Chá com Bolachas no D-edge.


E o esqueminha VIP continua,
enviando seu nome e de seus amigos até quarta, às 18 h
(para chacombolachas@uol.com.br)
você entra na listinha vip pagando apenas

$5 de entrada

CHEGUE MAIS CEDO.

O Chá com Bolachas no Cio agora começa às 23.00h



Beijos e até quarta
A Vertiginosa + Barbie da Silva

BOLACHA MURCHA NÃO ENTRA!

____________________________________________________________________________
:: ChÁ coM bOLAchAs :: ++ nO D-eDgE ++
Onde: D-Edge - Alameda Olga, 170 / Quando: Quarta - 18/02- 23.00h /
Quanto: com nome na lista, apenas 5 ent.
Produção: A Vertiginosa + Barbie da Silva + Luiz Fernando
____________________________________________________________________________

www.fotolog.net/chacombolachas

aqui esta:

clique no flyer e veja a galeria de fotos do :: ChA CoM BoLaChAs em: CoM AmIgA TaMbEm Se CoMe ::




sumiram os comments.

REVISTA ISTOLÉS

FILHOS TIRANOS, MÃES DESESPERADAS.
Como criar cães e filhos de inseminação artificial sem uma figura masculina.

COLD MOUNTAIN, COLD WOMEN
Um filme que só teria chance se desenvolvesse um conteúdo lésbico.

GENTE
Dr. Zimmerman e as Mulheres.

MÚSICA
novidade que vai encantar as amantes da boa música: ac, ml, zd, mr, fp e pl vão fazer show na costa do marfim e são presas por desacato ao bom gosto.

AUTOMÓVEIS
nossos editores protestam pela ditadura dos jipinhos e clamam: queremos escrever sobre outros carros e não só sobre utilitários.

MODA
pela última vez: o all star com meia preta e saia não é uma roupa feminina.

NOITE
café vermonstro e uódagrá fazem projeto mensal: abrir.

CIÊNCIA
reconhecer, entrar, explorar: tudo sobre os buracos negros que vc conhece por aí, na noite, anônima e alcoolizada.

FRASE
"por mais que goste, eu não seria plena de unhas compridas."

CARTA DO EDITOR
mandem suas sugestões de matérias.

jornalisticamente,


segunda-feira, fevereiro 16, 2004

Coisas que eu odeio numa HT: 

Quando elas prendem na alcinha da bolsa delas, aquelas piranhas de usar no cabelo.

FELIZ ANIVERSÁRIO VALENTINA
(isso é pelo sábado)

E ontem eu ouvi uma coisa ótima, numa mesa de turminha:

CAFÉ VERMONSTRO

hihihihihih, muito bom.

segundinamente,


sexta-feira, fevereiro 13, 2004

LESBIAN DRAMA OF THE WEEK

é quando o sol se põe
e o que há de masculino no mundo
escurece
que a lua mulher menina se impõe
e o seu corpo imundo
amanhece

na minha janela da alma
na minha aquarela calma
flor do meu jardim
pomo do meu adão
adoro sentir em mim
seu dedão

e se vc me deixar um dia
vou chorar até encher uma pia
vou dizer que morro um dia
do coração

vou rasgar todos os tecidos
sua pele e seus vestidos
vou arrancar as unhas curtas
vou perguntar porque não surtas
vou emagrecer rapidamente
ouvir ana carolina incessantemente
que é pior que morrer
vou sofrer mais que rimbaud
vou ficar feia, um horror

perseguir você
bater no seu carro
antes de amanhecer
a força te agarro
jogar bebida na sua cara
dizer que a outra nunca te amara
costurar bocas de sapo
com teu nome dentro
teu telefone num guardanapo
vou jogar ao vento

depois vou conhecer alguém interessante, me apaixonar e virar sua melhor amiga, bem.

o amor tem tantas formas, insistentemente,



LESBIAN DRAMA OF THE WEEK

- vc precisa escolher.
- por que?
- como, por que? vc precisa escolher.
- eu não quero.
- não quer?
- não. amo as duas.
- mas não pode.
- pode sim. vc mesma já esteve nessa situação e disse que era possível.
- era diferente.
- diferente como, cara de pau?
- diferente como o farol e o bardagrá.
- ah, entendi, diferente como ana carolina e roberta miranda.
- viu? há diferenças entre os iguais.
- cale-se. o assunto é outro. não quero escolher. vou comer as duas e pronto.
- vai engordar. cada fatia de pizza tem umas 400 calorias.
- não importa se eu engordar, eu tenho vc que me ama acima de tudo. vem aqui, me beija, me aperta, deixa eu sentir sua pochete quente pulsando em contato com a minha pélvis.
- fala de novo.
- pochete ou pélvis?
- pulsando.
- eu sinto sua pochete pulsando, seu trim balançando no cinto ao lado do celular, o som do rolopack amassando...
- ahn...
- os pelos do meu rosto roçando aquele pelinho preto que vc tem no queixo, os bicos de nossos sapatos se entrelaçando, nossos problemas com a figura paterna unindo-se num só coração...
- ahn!!!!!
- espera. fica aqui. vai tirando o camisão que eu vou ligar uma música da zizi, usar a ducha higiênica e já volto, tijolinho da minha construção. (e sai cantando) meu amor! é! cachoeiraaaa!!!!

o amor e suas formas, diversificadamente,


quinta-feira, fevereiro 12, 2004

deeeeeeeeeeeeemorou, mas saiu

clique na foto e veja a galeria de fotos do ::ChA CoM BoLaChAs em: Um CoRpO QuE Se JoGa ::






quarta-feira, fevereiro 11, 2004

O que vcs farão na festa da carne?
A melhor resposta, me leva na mala!

terça-feira, fevereiro 10, 2004

e agora com Flyer!

orgulhosamente apresentamos mais um cha com bolachas em: com amiga tambem se come

capcioso pra quem quer. e puro como uma flor para quem nao quer.

voce decide, mas nao precisa contar. assim, nao coloca ninguem contra voce.

___________________________________________________________________________________
cha com bolachas em: com amiga tambem se come. matrix. 11/02. quarta.22h.5ent.5cons.


ATENCAO! ATENCAO!

AINDA NAO TEM FLYER, MAS TEM CHA COM BOLACHAS AMANHA!

ESPALHEM, ESPALHEM!



Teve festinha domingo, ontem nem pude ou tive tempo ou disposição pra comentar. Foi corrido, eu sou uma pessoa cheia de responsabilidades. Mas da festinha, uma mistura vista poucas vezes, um monte de gente dançando, o som tava ótimo. Lulu tocou electro-pop e tava uma delícia, dançamos à valer. Stela Ob. tocou um house balançado, muito bom, o povo gritava naquela do Fatboy. Cuelha, vc perdeu, iria gostar. E a Barbie me impressionou, ela já é uma estrela, uma profissional das picapes, parabéns pra vc, mandou bem.

Pronto, eu acho que, aqui entre nós, já chega de gentilezas.

E as que não foram, tava bom no Vermont? Gastaram muito dinheiro em mulheres profissionais? Ou foram apenas num barzinho com música ao vivo e isopores de cerveja?

Não venham se justificar, eu já estou nesse mundo há algum tempo.

pacientemente,

sexta-feira, fevereiro 06, 2004

Desanimadas, cliquem nas fotos do desfile Fause Haten! ....

Que tal um passeiozinho temático aqui na fábrica?
Roteiro Sapalcanas, água já tem, só faltam vcs..
Visita aos carneiros que gritam 'ma-a-a-a-is' quando falta gás;
Observatório de patos (voadores) desarranjados;
Extrusão, intrusão, refusão, tudo ão.. o dedão das temáticas operadores de fornos super hiper ultra quentinhos..
Apreciar como elas enrolam bobinas gigantes de rolopacks laminados para as mais violentas...
Aprender a manusear embalagens de alumínio para embalar aquela sua vizinha que sempre volta quando vc está comprometida..
Balatinho, balatinho, só 10 real a visita, pode pagar pra mim... No final vcs ganham um bóróóóche de alumínio extrudado no formato desejado para vcs pendurarem no ziper de suas pochetes, que tal?

Lesbian sex and the City

música ruim, cerveja quente, garotas sujas e agressivas. meow mix é uma delícia. é como entrar num lugar tão escuro que vc não consiga ver o que está fazendo. ou como entrar num lugar, fechar os olhos e sair fazendo. é uma dark room. um bom lugar pra ter um bom seguro saúde. uma coletânea para uma velhice interessante. um workshop de experiências étnico-sócio-gênero-multi-pan-músico-etílico-sexual. eu passei a música inteira prestando atenção nas pernas dela, que estava no palco, e nos movimentos dele, que estava atrás de mim, muito perto, distância igual à espessura de um jeans. eles foram lá chasing amy e ficaram impressionados com o resultado.

westsidemente,


Lesbian Sex and the City

no henrieta hudson joguei sinuca por umas três cervejas com umas desconhecidas chamadas mary, nancy, sei lá. afinal, foram 3 cervejas. eu estava me deixando ir, só. inclusive quase fui com nancy, mas depois de andarmos até o meu hotel e trocarmos uns 3 beijos na boca num frio de menos 10, descobri que me deixando ir tinha chegado aonde queria. com ela, era suficiente. dali, pro bar d'O dançar sozinha. era outra turma, entende? os cabelos de todos eram muito bem repartidos, tinham cara de julie e andrew, falavam sozinhos entre si. dancei sozinha com andrew e com julie, um de cada vez, mas não lembro com qual dois dois fiz sexo no banheiro, não queria de novo ter que andar até o hotel e convidar pra subir.

westsidemente,


Namorada chegou tarde em casa, então dormi com Ani, sonhei com ela, acordei lembrando da letra da música. Espero que vcs gostem. Chama-se Pulse.

You crawled into my bed that night
like some sort of giant insect
and I found myself spellbound
at the sight of you there
beautiful and grotesque
and all the rest of that bug stuff
Bluffing your way into my mouth
behind my teeth
reaching for my scars
That night we got kicked out of two bars
and laughed our way home

That night you leaned over
and threw up into your hair.
And I held you there thinking
I would offer you my pulse
if I thought it would be useful
I would give you my breath
except
the problem with death
is we have some hundred years
and then they can build buildings
on our only bones
A hundred years and then your grave is not your own
We lie in our beds
and in our graves
unable to save ourselves
from the quaint tragedies we invent
and undo
from the stupid circumstances
we slalom through
And I realized that night
that the hall light
which seemed so bright when you turned it on
is nothing
compared to the dawn
which is nothing
compared to the light
which seeps from me while you're sleeping
cocooned in my room
beautiful and grotesque, resting
That night we got kicked out of two bars
and laughed our way home
I thought:
I would offer you my pulse
I would give you my breath
I would give you my pulse...

plasticmente,


quinta-feira, fevereiro 05, 2004



Vange Leonel - Cilmara Bedaque - A Vertiginosa - Barbie da Silva
Apresentam:


MENINAS PERDIDAS SE ENCONTRAM NUM CHÁ COM BOLACHAS.

Matinê especial no Bop Bistrô em apoio ao LADYFEST.
Rua Inácio Pereira da Rocha, 170
Domingo, dia 8 de fevereiro, das 18 às 23 horas.

No som: Barbie da Silva, Lulu e Stella Obscura.
80 - electro - indie - house - funk - techno - fuck


Entrada: 5 cruzeiros

BOLACHA MURCHA NÃO ENTRA.

Quer saber mais sobre o ladyfest?
www.ladyfest.org

_____________________________________________________________________
:: mEnInAs PeRdiDaS sE eNcOnTrAm nUm ChÁ cOm bOLaChAs ::
Onde: Bop Bistrô - R. Inácio Pereira da Rocha, 170 / Quando: domingo - 08/02- 18h / Quanto: 5 ent
_____________________________________________________________________

www.fotolog.net/chacombolachas

vcs acham que futebol é coisa de mulher que escolhe?

se não é, e se isso é tudo um grande preconceito nos dias em que vivemos, por que eu, jelly, verti, blum, baig, hemingway, cocker e lulu jogamos melhor que todas as outras hts juntas?

inclusive sabemos nos mover com mais naturalidade dentro da roupa esportiva.

podem falar a verdade, eu acho que aguento.

doloridamente,


quarta-feira, fevereiro 04, 2004

Chachá, risca umas letras ai pra mim. Vou virar cantora pra exorcisar esse lance ai de lésbica MPB e conseguir uns trocados pra gente ir pra Croacia.
Se bem que a palavra cantora ja é brega por natureza.
Devo comprar um oculos Chilli Beans, ou seria muito default?
Ajudem na minha producao.
O cabelo, ja cortei!

terça-feira, fevereiro 03, 2004

A NOVA MPB - Renata Clara

Renata Clara é filha da metrópole. Animal urbano, criado na selva de pedra paulistana, Renata Clara criou raízes profundas no asfalto e no concreto. Quando sentiu que o ritmo das buzinas e o assobio da fumaça já ecoavam com naturalidade em seu peito, Renata Clara decidiu correr o mundo em busca de referências. Foi na Índia que achou um novo tipo de respeito, e lá mesmo colheu o som da paz, de uma nova esfera do pensamento, de vida, de incenso, de vacas sagradas. Juntando a vaca de Gertrude Stein com as sagradas da índia, esta vaca profana criou uma salada sonora encantadora, que embala as deusas escondidas em cada mulher.
Cantando em português e hindu, sua voz nos lembra Ana Eduarda, Clara Nunes, Gal Costa, Elis Regina, por mais que elas protestem.

Aqui, trecho da música "A Vaca Vai a Shiva", que ela dedica a Baby do Brasil. E ao nosso bom gosto.

(tocada em cítara dedilhada por sua própria língua)

Vaca profana
e leites brancos despejados
Sobre o meu tablado
Vaca de braços tais
que parecem mais
do que os apenas dois
que me abraçam.

Vaca sagrada
vaga embalada
Entre um respeito
Entre seu peito
parecem mais
do que os apenas dois
que me alimentam

Vaca de Gal
Vaca de Gertrude
Vaca de G
Achou meu ponto
E me fez sagrada, profana e mais vaca do que já sou

A
Aaa
Aca
Avaca
Abracavaca
Aaa
A vaca deusa vai a Shiva
A vaca deusa da minha Shana

(repete)

dedilhadamente,


A NOVA MPB - Ana Eduarda

Ana Eduarda nasceu em Teresina e foi criada por sua mãe, Teresina e por suas tias, Teresina e Teresina. Fruto de uma família de artesãs, desde cedo Ana Eduarda aprendeu a tirar vida de matérias-primas como o barro, a palha, a estopa. Observando os sons que estes materiais emitiam enquanto eram manipulados, transformou-os em instrumentos. Hoje, além de violão, claro, todas elas tocam violão, Ana Eduarda arranja suas composições com o acompanhamento de cortadores de unha, um instrumento de sopro feito de rolopack enrolado no pente e colando e descolando velcro.
Dona de versos simples que nos trazem a essência da mulher brasileira, Ana Ed nos surpreende pelo contraste entre a simplicidade da vida que canta e a sofisticação de sua voz, que nos lembra Clara Nunes, Gal Costa, Elis Regina, por mais que elas protestem.

Aqui, trecho de Menina Feia da Saia Curta e do Pé Grande, por Maria Eduarda. Pra ler e se apaixonar.

Menina Feia
Da saia curta
Do pé gigante
Cara de puta
Você é eeeeeeeeeeeu enquanto eu não sabia
Você é eeeeeeeeeeeu enquanto eu não sabia

Menina feia
da cara suja
quando foi que soube
quando foi que eu soube
meu pé gigante
minha unha curta
de passear ao sol
fui tocar no farol
de passear ao sol...

Menina feia
da saia curta
(quando vc descobriu que toda a sua vida era transtornada por inveja do pênis, problemas de auto-estima, medo de engravidar, inveja e competitividade e que não havia contorno, nem como evitar, vc era assim, e assim sempre será, sempre que outra garota vc puder namorar...)

Você é eeeeeeeeeeeu enquanto eu não sabia
Você é eeeeeeeeeeeu enquanto eu não sabia

Menina feia
da saia curta
sem-vergonha e sapata
retrato do meu brasil

Você é eeeeeeeeeeeu enquanto eu não sabia
Você é eeeeeeeeeeeu enquanto eu não sabia


compositoramente,

segunda-feira, fevereiro 02, 2004

Nós amamos nossas ex-namoradas. Nós perdoamos até as que nos traíram com requintes de maldade. Nós ficamos com as mesmas mulheres que nossas amigas já ficaram. Nós andamos em grandes grupos que se amam muito. Nós casamos no segundo encontro. Nós queremos ter filhos, apartamentos, condomínios para a velhice. Nós doamos nossas roupas de coleções passadas. Nós compreendemos pessoas que se vestem mal ou têm a pele ruim. Nós podemos nos orgulhar de ser um grupo altamente tolerante, compreensivo e benevolente. Será que é essa nossa paciência sem fim que deixa existir neste meio um grupo tão grande de artistas realmente muito chatas, como AC, ZD e ML (estou tentando evitar processos jurídicos)? Será que é por isso que cada vez que surge uma artista chata como a MM todo mundo acha que ela é uma de nós? Por que será que ainda não disseram que a Maria Rita é lés, afinal, ela não tem vaidade?

Assim como em vários outros momentos da vida, principalmente os de desilusão, preciso de respostas.

descalçamente,


This page is powered by Blogger. Isn't yours?