<$BlogRSDUrl$>

terça-feira, março 30, 2004

APRENDENDO COM A VIDA

Lição da maturidade sexual.

Amiga que escolhe, você pode ser lésbica, mas você continua sendo uma mulher.
Por mais que você cultive os pêlos do suvaco, que corte o cabelinho a la garçon, que raspe a costeleta pra ver se cresce mais grosso ou tome testosterona pra cultivar sua bola de tênis, você, no fundo, ainda é uma mulher.
E é sobre este fundo que eu gostaria de falar.
Você tem dado a atenção que ele merece?
Ou tem ficado só naquele sexo clitoriano, adolescente, fácil e óbvio?
Amiga, o fundo também sente prazer. É difícil de alcançar, todas nós sabemos disso, afinal, estamos aqui confessas, por conveniência. E também já tivemos 17 anos. Mas essa dificuldade vale a pena ser suplantada, porque o fundo nos oferece um universo inusitado de prazer. Frêmitos por todo o corpo, ânsias afogadas na garganta, lentas ondas orgásticas, uma convulsão de sensações ora confusas, ora insuportáveis, ora absolutas.
Amiga, coloque o seu cintinho, ou peça para o seu caso colocar, e vá fundo.

Aprenda com a Vida.

* Vida Babauê é terapeuta especializada em gestalt, patchouli e orientações alternativas da região Pélvica.

gente, eu descobri uma coisa com a lingua portuguesa (no blog do zhion) e estou passada

mas, nao vou dizer o que eh e sim lancar mais uma enquete:

o que vc entende pelo verbo "bifar" ?


fruto de um brainstorm internetico entre algumas amigas que expunham a sua opiniao, me veio a ideia dessa enquete;

o que voce acha daqueles cintos com pau de borracha.

falem sinceramente, assim eu posso aumentar o meu conhecimento sobre a mente e a libido da ser humana.


segunda-feira, março 29, 2004

PAIS & FILHOS PROBLEMÁTICOS
em
O lesbianismo na primeira infância

É de pequenino que se larga o pepino. Pesquisas indicam que a orientação sexual se manifesta cedo. Mas tbem indicam que as terapias de conversão funcionam muito melhor se aplicadas desde a mais tenra (hmmmm) infância. Então observe seu bebê, descubra se sua filhota tem tendências e previna-se para que ela não se torne uma desviada.

1. quando ela vai mamar, ela lambe e dá umas mordidinhas?
2. ela gosta de higiapele, que se aplica com algodãozinho, ou prefere mil vezes hipoglós, que vai com o dedo mesmo?
3. ela já tentou colocar o alfinete da fralda na sobrancela?
4. ela tem bonecas? passa muito hipoglós nelas?
5. ela diz muito dá, dá, dá?
6. ela puxa o cabelo dos meninos? morde as meninas?
7. arrota alto depois de comer?
8. deixa você cortar as unhinhas dela com facilidade?
9. ela prefere que você coloque as fraldas abaixo do umbigo ou faz mais um estilo semi-bag, com fralda de cintura alta.
10. ela ama uma boneca que já foi de uma amiguinha que ela amava?
11. adora ficar sem camisa?
12. só deixa você colocar um casaquinho se for azul, com a manga dobrada?
13. adora ver o corinthians na TV?
14. fica encantada de brincar com a chave do carro?

Se você respondeu sim para mais de 3 perguntas, cuidado, sua filha é uma lésbica em potencial. Tente desviá-la deste caminho. Coloque mais cenoura na papinha dela, sem picar. Banana também. Corte o hipoglós imediatamente. Compre chocalhos e mordedores com formas fálicas, pra ela pegar gosto de por a coisa na boca. E consulte um médico ou um padre que possam orientá-la com terapias mais incisivas como eletrodos que dão choque quando o bebê vê a Xuxa e jogar água gelada quando ela gruda nas bonecas. Seja forte. Não é fácil, mas você pode conseguir transformar seu bebê gay numa jovem patricinha totalmente heterossexual.

reacionariamente,

LITTLE LESBIAN LIFE SECRETS

Imagine uma mulher de pele de porcelana, olhos de água do caribe, cabelos de ferrugem, corpo de gisele, guarda-roupa de dar inveja a constanza, cérebro de woody allen e que se chama Celineide.
Celineide não consegue se relacionar com ninguém. Celineide não consegue suportar a idéia de ter que dizer seu nome para alguém. Mas tbem não suporta a idéia de ter um apelido, porque pensa bem, é meio ridículo essa coisa de adultos que se apresentam pelo apelido. Oi, sou a Preta Gil, no meu cheque assino Tetê Lima-Bragança ou e aí, Luana, tem falado com a Pepa Antunes? Por favor, que falta de maturidade cultural, acho que me fiz entender.
Celineide só tem um amigo, um vizinho surdo-mudo que joga buraco com ela aos sábados e a chama por um gesto de mão. Nem com os pais Celineide convive porque dar um nome desses pro filho é tudo, menos amor.
Celineide não troca de nome porque não suportaria a dor de ter sua certidão de nascimento examinada por toda uma pirâmide hierárquica de burocratas.
Dá pra mim, Celineide.

profundamente,

sábado, março 27, 2004

ATENCAO! ATENCAO!

POR MOTIVO DE ESCULHAMBACAO TOTAL NA AGENDA DO MATRIX,

O PROXIMO CHA COM BOLACHAS DO DIA 31/03

VAI SER NO "OITO" BAR E RESTAURANTE JOSE MARIA LISBOA, 82 - F. 38848231


ESPALHEM! ESPALHEM!



eu amei... 

charlotte
esse post é para agradecer o texto "a velha valen"... eu simplesmente amei e dizer que continuo com saudade e q vc sumiu... aliás saudades de todo o vae...
rola um jantarzinho? beijos e Britney Jr. que me aguarde....

sexta-feira, março 26, 2004

LESBIAN IDOLS ARE ALWAYS THE SAME

Eu tinha 12 anos. Dançava ballet clássico, moderno e dava meus primeiros passos no contemporâneo. Tinha um namoradinho que me causou sensações estranhas ao pegar no meu peito enquanto víamos Os Trapalhões e o Mágico de Oroz, no cinema. Andava de skate, ia pra escola, queria ser bailarina.
Foi quando estreou Flashdance. A história de Alex, a garota que sonhava ser bailarina enquanto tentava ganhar a vida como soldadora. Tênis nike velocity branco com vermelho, uma calói 10 pra andar pelas ruas de Manhatan. Irreverente, independente, corajosa, Alex acaba por conquistar a todos por sua determinação, força de vontade e talento, e é finalmente aceita na conceituada academia clássica de ballet. Against all odds.
Eu, sozinha numa tarde ou outra em casa, copiava do videocassete suas coreografias e sonhava com suas aventuras. Seu único defeito era ter um cão, mas a gente podia negociar se viesse a se casar.
Hoje, 20 anos depois, a atriz que interpretou meu ídolo, Jennifer Beals faz o papel de uma lésbica na série L World.
Não me venham com mitos sobre personagens, atrizes, personas e psicopatas que confundem um com o outro. Estou sim, emocionada, os pêlos do braço em riste, realizando uma fantasia de 20 anos. Hoje, nos sei mulheres que escolhem e sei que tive nela meu primeiro amor.
Em sua homenagem, uma nova versão da música Manic, que ela dançava no filme quando estava deprimida.

Maniac

Com aquela calça rasgada
E o cabelo enroladinho
Pedalando na calçada
Ou dançando no palquinho
She can cut you like a knife
Cada vez que dá rewind
Como alguém pode ter sonhos eróticos com aquela sapatinha?

She’s a lesbian, lesbian como eu sou
E dançando igual a ela, ela me achou
She’s a lesbian, lesbian como eu sou
E dançando igual a ela, ela me achou

Quando se é adolescente
A gente não tem noção
Ela se achava quente
Com cintinho e maiozão

She’s a lesbian, lesbian como eu sou
E dançando igual a ela, ela me achou
She’s a lesbian, lesbian como eu sou
E dançando igual a ela, ela me achou

O cabelo era de mullet
A calça era saintropeito
Só faltava usar pochete
Atravessada contra o peito

She’s a lesbian, lesbian como eu sou
E dançando igual a ela, ela me achou
She’s a lesbian, lesbian como eu sou
E dançando igual a ela, ela me achou

nostalgicamente,


quarta-feira, março 24, 2004

Um amigo do meu pai abandonou um cachorrinho que ele tinha na estrada, porque estava com uma doença na calda.
Estou horrorizada até agora, não gosto nem de imaginar.

Sera que a loira do banheiro também foi abandonada na porta do ritz?

UMA ENQUETE PRA COMEÇAR O DIA

Vc é uma lésbica por natureza? Fica de pau duro vendo a namorada sair do banheiro? Tem fantasias sexuais com mulheres? Ri alto com a língua pra fora, feito um cachorro louco? Só limpa debaixo das unhas se a parceira implorar e ainda assim fica dizendo "só mais um pouquinho..."? Ou vc só está nisso por conveniência?

cervejinhamente,


terça-feira, março 23, 2004

A VELHA VALEN

Antes de descer as escadas ela é precedida pelo barulho das pérolas se espalhando pelo chão, descendo os degraus. Logo depois, ouvimos o ruído daquela cadeirinha que desce pelo corrimão. Primeiro a aura de channel 19, depois as plumas do boá, depois a piteira (com um cigarro de chocolate, ela nunca fumou), depois a Velha Valen. Um jovem musculoso vestido só com a calça de bombeiro, sem camisa, a pega no colo e a coloca na cadeira de rodas. O velho Tiago não se preocupa com estes caprichos da mulher: garçons, bombeiros, encanadores. Ela é assim mesmo e ainda que cercada de seus enucos, sempre será só dele.
A Velha Valen um dia cansou das artes visuais e abriu uma casa de tolerância. Recebe jovens de todas as idades e, numa conversa preliminar e através de cartas de tarô, búzios, da palma das mãos e das bolhinhas de um bom champagne, ela consegue ver a alma das pessoas, e assim identificar quem seria o melhor acompanhante para aquela noite, homem, mulher, ambos, com roupas especiais e fetiches tão particulares.
A Velha Valen, de boina e óculos de gatinha ficou famosa no mundo inteiro por sua precisão. Sua imagem sentada num canapé de veludo vermelho acariciando Chiquinha, a gata de 98 anos, recheia as fantasias de jovens do mundo inteiro. Hoje em dia já existem consórcios para levantar fundos suficientes para poder marcar uma consulta.
Em tempo: Britney Jr., a jovem modelo filha de uma antiga cantora americana, foi vista saindo de lá com um sorriso estranho no rosto e restos de rolopack presos entre os dentes.

antigamente,


sexta-feira, março 19, 2004

Para quem estava esperando com ansiedade,
e também para quem não estava, aqui está a galeria de fotos do

::ChA cOm BoLaChAs MoLhAdAs::

Edição da quarta 10/03.

Se você foi, encontre o seu rostinho aí. Se não foi, veja quantas
carinhas bonitas você deixou de ver.

www.picturetrail.com/bolachasmolhadas

Beijocas para todo mundo e até a próxima.

A Vertiginosa e Barbie da Silva
______________________________________________________________________
Próximas edições do ::ChA cOm BoLaChAs:: 24/03 - D-Edge e 31/03 - Matrix

quinta-feira, março 18, 2004

e a VELHA VALEN? 

poxa, charlotte... realmente vcs esqueceram de mim né?
eu sei que nunca escrevo... mas... vcs não podem esquecer q eu estava no dia da fundacão do VAE... e agora velhinha e esquecida por vcs...
beijos e quando der venham me visitar aqui no asilo

 

A VELHA BAIG


Chegamos à casa da velha Baig no começo da noite. Tivemos que fazer duas viagens no elevador porque a Velha Charlotte estava de andador e a Velha Jelly não largava a sacola dos anões de jardim. Tocamos a campainha e ouvimos lá de dentro:

- Miiiiiniiiiiiiiiii! Miiiiiiiiiiniiiiiiii abre a porta! Miiiiiiiiii!!!!!!!

A Velha Baig abre a porta. Aquele enorme cabelo enroladinho todo branco, platinado. Um chinelinho de quarto com um pompom em cima. Uma cueca samba canção de seda. Hering Branca, claro. Um robe de lutador de box, dourado. Um martini e um cigarro entre os dedos. Um velho oculos Jackie O que ela não tira desde que fez 70 anos.

- Meninas, entrem, vamos sentando, desculpe a demora, é que eu tava procurando a M.M. (as iniciais da sua parceira foram trocadas pra proteger a privacidade da dama), mas desde que comprei este tapete fofo nós quase não nos encontramos. Alguém me ajude a dar uma sacudida pra ver se ela cai dali de dentro? Mas sentem, sentem, peguem uma bebida, ai, tá na hora do meu remédio pra pressão, alguém quer um comprimido?
- Baig, isso é um ecstasy.
- SHhhhh! É pra pressão!

A velha Baig passa seus dias recebendo pessoas em seu apartamento de cobertura em higienópolis. Artistas, ricos, pobres, modernos, entregadores de pizza, jogadores de futebol, DJs, traficantes de remédio pra pressão, modelos, estilistas, coreanos falsificadores, rabinos, estudantes, novos, velhos, animais, superdotados, bissexuais, instaladores da Net, absolutamente todo mundo que passa por aquela porta acaba entrando e ficando. Todo mundo reunido em harmonia, tomando drinks à beira da piscina, se automedicando e ouvindo um som da velha Barbie, que graças às suas mãos trêmulas está cada vez melhor nas picapes.

saudosistamente,


A VELHA BLUM

Um velho furgão cheio de lésbicas corta a selva amazônica. Depois de muita mata, pouca estrada e algumas tribos que raramente vêem os brancos, a van chega na clareira onde fica a oca da Velha Blum.
A velha Blum sempre pensou demais e a cidade sempre fez muito barulho à volta dela, atrapalhava a concentração.
Então, por volta dos 50 anos, a velha Blum, numa viagem pela Amazônia, conheceu uma tribo, aprendeu sua cultura, foi batizada com um nome indígena (Amãnabu, que em Tupi-Guarani significa mulher que toca em mulher) e recebeu o cocar de membra honorária da tribo, na condição de guerreira capoeirista. Lá conheceu a índia que a acompanha até hoje, cozinhando inhame, fazendo cafuné e dando beijo na peluda.
A índia velha Blum nos recebe na sua oca aconchegante e cheia de souvenirs de viagem. Os únicos sinais de civilização somos nós, que vamos lá jogar bola e pegar umas piranhas uma vez por mês; e o computador no canto, que ela usa pra se comunicar e fazer uns trabalhos de vez em quando.
Depois do jogo, fumamos um cachimbo da paz e fazemos um som, com ela no violino, a índia no berimbau, a verti no pandeiro e a jelly batendo.
No fim do dia, a índia velha Blum nos dá balas de cupuaçu pra viagem e umas larvinhas pro caso de dar uma larica. Voltamos pro meio do nosso mundo de concreto para mais uma semana de rotina. Sentimos falta da velha Blum no dia-a-dia, mas a gente sabe que no fundo somos a verdadeira tribo dela.

brasilianisticamente,


A VELHA JELLY

Ela anda pelas ruas sem rumo. Numa mão, uma sacola cheia de anões de jardim. Na outra, uma raquete de squash. Fala sozinha e tenta bater nas pessoas que julga mal-vestidas. Não entende os jovens. Não entende os velhos. Nem as crianças, os adultos, os animais. Não entende porque o mundo tomou este rumo de mediocridade e falta de originalidade. Percorre a cidade ruminando seu mantra de crítica e inconformidade. Pára, de vez em quando, pra falar com algum passante.

- Você não acha, moça?
- Hein?
- Não acha?
- O que?
- O fim da picada que depois de 60 anos eu ainda veja mulheres de top branco?
- É...
- E aquele sujeitinho ali? Só porque tem pinto acha que as mulheres precisam dele mesmo que ele use mocassim com soquete branca. Mauricinho ridículo.
- Como a senhora sabe o nome dele?
- Mauricinho não é nome, é espécie, um animal selvagem que infelizmente não entra em extinção.
- Hã... Onde a senhora mora? Eu a acompanho até a sua casa!
- Você acha que eu preciso da sua ajuda só porque eu sou velhinha? Ou é porque eu sou lésbica? Só porque você tem uma pasta de executiva de contas você acha que é melhor do que eu? Ou é porque eu sou assistente? Ou é porque eu sou tcheca????
- Calma, senhora, eu só quis...
- Calma um caralho! Você é igual a todos os outros. Acha que eu sou só uma velha lésbica com problemas de auto-estima. Mas você não me conhece. Tá vendo essa mão? TÁ VENDO ESSA MÃO?
- Nossa, que dedão!
- Isso mesmo, executivinha, essa mão já deu muito prazer e já rompeu muitos hímens por aí. Mas no começo desse século, quando você não era nem um feto, ela conheceu seu amor e sossegou. Aliás, cadê a Hemingway? HEM? HEM? TÁ NA HORA DO MEU REMÉDIO, HEM, ONDE VOCÊ ESTÁ?

Nesse momento, Hemingway chega, com uma camiseta branca, um macacão jeans e um cesto cheio de legumes, dirigindo uma Veraneio, pega a Velha Jelly e leva pra Biodança.

historicamente,


A VELHA VERTI

Sentada em sua cadeira de balanço, cabelos grisalhos, curtos, com um palito no canto da boca, camisa de flanela xadrez, bota de lenhador, acariciando a gata Navratilova, a avó lésbica conta histórias para seus 5 netos.

- No meu tempo, bissexual era como coelhinho da páscoa, papai noel e show da laura f., nunca ninguém via.
- Como assim, vó, todo mundo nasce bissexual!
- Mas na época eles não sabiam, as pessoas tinham que escolher logo que nasciam. A maioria era obrigada a ser hetero!
- Jura, vó?
- Caramba, vó, então passavam a vida inteira sem ter uma relação homo?
- A vida inteira.
- E como as pessoas escolhiam?
- Os pais escolhiam por ela. Na verdade, era meio definido: todo mundo era hetero, menos uns malucos, como a avó de vcs, que tinham idéias revolucionárias e se recusavam a obedecer. Era uma perseguição. Tinha até gente que era expulso de casa.
- Vcs não podiam contar pra ninguém que eram bi ou homo?
- Pra quase ninguém, as pessoas olhavam feio e tinham nojo de tocar no seu dedo médio.
- Então como vcs namoravam.
- Havia um clube.
- Clube?
- Sim. Uma sociedade secreta.
- Tipo massonaria? Uau, vó!
- É, tempos difíceis aqueles. Uma vez a cada quinze dias, as mulheres que escolhem se reuniam para a celebração. Primeiro, ingeriam líquidos que as deixavam lascivas. Depois, um equipamento bem precário de produção sonora emitia mantras tribais hipnóticos chamados “Electro”. Ao som destes mantras, as mulheres que escolhem perdiam o controle de seus corpos e se deixavam conhecer, tocar, excitar e...
“Pi! Pi! Pi!”
- Calma, vó, tá sobrecarregando o marcapasso.
- Verdade. Tenho saudades daquele tempo. Era proibido, mas era tão gostoso...
- Como era o nome desse ritual vó?
- Era o famigerado, celebrado por poucas, odiado por muitos, temido pela TFP, Chá com Bolachas!

antropologicamente,


quarta-feira, março 17, 2004

Enquete do dia, leitoras:

Ei, por que você é lésbica?

ibgemente,


mais uma producao "Jingle Sapa Bells" que fazem parte da sua vida (ao ritmo das balas de leite kids)

Roda roda
Roda a sapinha atencao
Quando a sapinha parar
Poe a mao

Arranca a pochete mais feia do planeta
Não deixe que o mau-gosto aconteca

Sapa-stylator Big
A melhor arma que há

Sapa-stylator Big
Pra quando o mau-gosto chegar



Soraia é uma pessoa normal +. Tipo, não é a Gisele, nem a Charlize, nem a Julienne, nem a... Enfim, não dá pra viver da beleza mas é interessante, rosto harmônico, se veste bem, ganha um bom salário, é inteligente, atenciosa e boa companhia. E é uma mulher que escolhe.
Mas Soraia tem um problema. E virou mulher que escolhe por causa dele. Seus dedos dos pés são feios. E isso a impede de ter uma vida social normal.
Soraia tem problemas em frequentar churrascos à beira da piscina e passeios na praia, porque o dress code desses eventos exige o uso de calçados abertos. Soraia não pode ir à saraus, porque nesses encontros o povo sempre senta no chão e tira o sapato. Soraia não pode nem ir às compras acompanhada, porque não consegue nem pensar em tirar os sapatos no provador e alguém ver por baixo da porta.
Soraia nunca fez sexo porque ainda não descobriu um bom argumento pra ficar de sapatos na ocasião.

psicologicamente,


que a sinead o´connor eh uma mulher problematica nos sempre soubemos. mas, agora em recente (ou nao) publicacao, podemos levantar uma possivel causa para tal comportamento:

"Conviveu com a mãe alcoólatra – mais tarde revelaria ter sido molestada sexualmente por ela"

isso me fez chegar a algumas conclusoes:

1. ela ficou revoltada e rasgou a foto do papa pq a mae nao deu conta do recado.

2. isso fez a pobre moca entrar para o eta e colocar as bombas naqueles trens da espanha onde sua mae passava ferias

3. essa historia inspirou a cuelha a criar a performance da "mamae e filhinha" para o quadro a racha que ri.

e voce, chegou a alguma conclusao?

terça-feira, março 16, 2004

ROSANA BIN LADEN ATACA NA VILA OLÍMPIA

Uma pochete bomba explodiu hoje no Manga Rosa, famoso clube da região da vila olímpia. A polícia investiga o que parece ter sido a explosão de uma lésbica-bomba, já que no local foram encontrados fragmentos de rolopack, unhas cortadas, uma haste de trim e duas alianças de compromisso com os nomes “Aimée” e “Jaguar”. A bomba era acionada por um telefone celular antigo dentro de uma capinha de couro. Suspeita-se de atentado suicida porque o celular ainda se encontrava preso a um pedaço de cinto.
Uma outra pochete-bomba foi encontrada na porta do cabeleireiro Jassa. Dentro desta segunda mala estavam 4 OBs Super recheados de explosivos. Segundo o esquadrão anti-bomba, esta pochete não explodiu porque uma substância gosmenta antibacteriana que a polícia suspeita ser Soapex causou um curto no detonador.
A única pista sobre a autoria do atendado é uma carta encontrada no local com os dizeres “Viu, Eugênia, eu disse que não viveria sem você! Ass. Rô”, o que faz suspeitar da famosa terrorista lésbica Rosana Bin Laden, que costuma se esconder numa caverna chamada Farol, na Vila Madalena. A carta tinha uma marca de baton cor de uva e estava perfumada com Trés Brut de Marchand.

informativamente,


Continuando nossas Produ??es de Jingle Sapa Bells que ja fazem parte da sua vida.

Sapata no Farol
Come?a a salpicar
Beth?nia de pochete
que medo que da

Sapata Bar da Gra
n?o sabe se aprontar
mocassim de franjinha, isso nao d?!

Quero ver a sapa pensar
na hora de se arrumar
Quero ver a sapa pensar
na hora de se arrumar

Quero ver a sapa pensar, pensarrrr
Nada de pantufa e penhoaaaaaaaar

IDENTIDADES SECRETAS - A VIDA IMPUBLICADA

Andava com os lábios tão apertados quanto o coque. A roupa era meio verde, meio marrom, meio de lã. Não sei se era verão ou inverno, o mundo lá fora não tinha a menor influência no ecossistema do apartamento dela, mantido em isolamento por milhares de bibelôs, partituras e um ar denso de poeira. Janelas fechadas. Um piano. Umas 4 vezes por dia, algum jovem estudante de música silencioso, tímido, amendrotado.
As 19h saía o último aluno e o som do silêncio ficava insuportável. Nem sempre era possível comer sopa, ver novela, dormir ali. Então ela soltava o coque, fazia uma escova rápida no cabelo escuro, punha uma camisa de seda, uma maquiagem leve e ia pra TV Globo apresentar o Jornal Nacional.

padronizadamente,


segunda-feira, março 15, 2004

Twenty Fingers Production Presentes

CIDA PAGODINHO
Em
AMOR DE SAPATÃO

Quem é que nunca teve um amor de verão
Foi experimentar e viu que era só paixão
Aí foi procurar a ex-namorada de volta
Se fodeu
Deu com a pochete na porta

Mulher traída é pior do que cerveja schin
Ela é fria, faz espuma e dá dor de cabeça na fim
Por mais que ela te ame ela não pode perdoar
Se fodeu
Agora tem que se virar

Não adianta nem gritar “não dei”
Você quis experimentar, te larguei
Não adianta nem gritar “não dei”
Você quis experimentar, te larguei

Quando uma lésbica resolve por a arraia de fora
Quando volta pra casa a antiga já foi embora
Levou um pé da amante e agora vem me procurar?
Se fodeu
Agora vai se masturbar

Não adianta nem gritar “não dei”
Você quis experimentar, te larguei
Não adianta nem gritar “não dei”
Você quis experimentar, te larguei

ALL TOGETHER NOW!

embriagadamente,


sexta-feira, março 12, 2004

meninas, não se esqueçam que sabado tem o LADYFEST BRASIL, com cha com bolachas e tudo!

nos vemos lah!


Twenty Fingers Pictures presentes

A PSICOSAPA

Em

POEMA DE PROVADOR

Marina Duncan (os nomes foram trocados para proteger a privacidade dos envolvidos) foi na C&A dar uma zapeada na coleção da Gisele. Pegou uns bermudões de surfista na seção masculina, um tamanquinho de madeira pra enganar a mãe, umas calcinhas de algodão e foi pro provador. Chegando lá paralisou e gaguejou quando viu a funcionária que fica na porta. Apaixonou, babou, todas essas coisas. Ficou nervosa. E quando ela lhe deu a plaquinha de acrícilico com o número de peças para provar, sentiu que seus dedos se tocaram e a arraia bateu asas.
Não sabendo como proceder e não podendo ignorar, pegou o cajal na bolsa e deixou um poema escrito no espelho da cabine. E assim estaria sua sorte nas mãos do destino.

A ruiva baixa clara e rósea
Empunhava miles de cabides
Qual ave do paraíso
A levar galhos para o seu ninho
De amor

E eu, envolta em panos de um futuro armário
Desde o passado fora do armário
O assistente de caixa se chama Mário
Entro em suspensão
E fervor

Eu te amo, baixa clara e rósea
Pra sempre admirarei o que conheço de ti
Te invento tímida, doce, alérgica a ovo
Te invento viva, de QI baixo, do povo
Te invento fogosa, virgem, te invento e sofro

E te inventando sonho amores de cabine
Molhados, selvagens, com manequins da vitrine
E pendurada qual roupa solta no seu cabide
Acordo e espero que você me ligue

Pra tomar um chope e comer um bacalhau.
9968 575

varejeiramente,


UTILIDADE PUBLICA:

8 BAR E RESTAURANTE

JOSE MARIA LISBOA, 82 - F. 38848231 (bem perto da brigadeiro)


ATENCAO! ATENCAO! 2

FESTA DE 1 ANO DO CHA COM BOLACHAS NO DIA 8 DE MAIO.

AGUARDEM INFORMACOES!


ATENCAO! ATENCAO!

HOJE EH O DIA DA EMBALADORA OFICIAL DAS NOSSAS FESTINHAS BARBIE DA SILVA

hj ela completa 20 e tantas primaveras em muito boa companhia no 8 bar e restaurante. Todo mundo pode ir.

fato eh: vai caber todo mundo? hihihih


TESTE DO PEZINHO

Sabe aquela sua amiga que acha que todo mundo é lés e tá olhando pra ela? E que te dá uma úlcera de ansiedade pelo medo dela cantar uma ht ofendida por engano? Ensine-a a fazer o Teste do Pezinho, pra descobrir se aquela que olha é a) interessada, b) observadora distraída, c) booker, d) esteticista em busca de trabalho ou e) catatônica.

1. Observe o olhar. Se for inteligente, profundo e arguto, marque 3 pontos..
2. Unhas. Aqui as opiniões divergem. Conheço ativas de unhas compridas e heteros com dedos de sapo, mas sempre vale a pena conferir o tamanho. Se forem curtas, marque 1 ponto.
3. Observe atentamente o queixo. Se tiver um pelinho pretinho ali, marque 3 pontos.
4. Unhas do pé à mostra, desconte 1 ponto. Unhas do pé à mostra e pintadas, desconte 2 pontos. Sapatilha 0 pontos. Tênis 2 pontos. Coturno, 15 pontos.
5. O que ela bebe: cachaça, xiboquinha e genéricos do metanol 3 pontos. Cerveja com colarinho 2 pontos. Cerveja sem colarinho 1 pontos. Whisky ou vodka com enrgético 2 pontos. Prosecco 1 pontos. Vinho 1 ponto. Lambrusco – 20 pontos.
6. Como ela bebe: direto da embalagem (lata, garrafa, tetra pack) 8 pontos. Num copo de plástico 3 pontos. Copo de requeijão 1 ponto. Copos adequados 1 ponto.
7. Indumentária. Pochete 3567 pontos. Cueca à mostra 2367 pontos. AMP 980 pontos. Camisetas de bandas: 879 pontos. Qualquer coisa com glitter: -19 pontos. Qualquer coisa com mais de 70% do corpo à mostra: - 18 pontos.
8. Cantarole uma música da AC. Se ela continuar, marque 390 pontos e suma.

Contribuam.

Preventivamente,


quinta-feira, março 11, 2004

Esclarecimento! 

Eu, Jellybean afirmo no dia 11 de março de 2004 que admirei e admiro a ex profissional do basquete Maria Paula Gonçalves da Silva, não so por seu talento dentro das quadras, mas também por ter aberto minha sensibilidade para o mundo gay. Quantas pessoas admiram o Ronaldinho? Agora, so pq a Magic eh temática, não posso gostar dela, porque me tornaria brega? Abram os olhos! Sou a jelly, goldfinger, poderosa, formadora de opiniao. Participo de suas fantasias eróticas, causando calafrios nas mais sensíveis. EU ACHO A PAULA O MÁXIMO DENTRO DAS QUADRAS, fora das quadras ela eh normal como vcs. Deixem de ser preconceituosas com si mesmas! Nem por isso vou ficar tirando fotos com ela num bar ou tentando puxar assunto, qdo nao sou chamada. Prefiro a televisão.
Beijos a todas e desculpem me se desiludi alguém. A----deus.

A PSICOSAPA

Uma noite, num jantar, Eu, Big e Lulu, devidamente acompanhadas, ficamos debatendo a Psicosapa. Eu acho que nem precisa explicar. Todo mundo já perseguiu ou foi perseguida- trocadilho acidental. E isso é o comportamento Psicosápico.

Outra noite, tomando cerveja, Eu, Jelly, Verti, Cuelha, Cocker, Baig e outra pessoa que não sei o apelido, ficamos desenvolvendo a letra do hino da Psicosapa.

Obviamente, é baseada na música da Adriana Calcanhoto.

Imaginem o clip.

A mulher sentada num canto de cenário escuro, com uma vela acesa, cantando, seus olhos expressivos. Uma coisa entre Nothing Compares 2U e o cinema brasileiro dos anos 80.

Nada ficou no lugar
Eu quero quebrar essas xícaras
Eu vou te comprar um soutien
Desdobrar a manga do blazer
Sumir com a Playboy da Marina
Despejar a água das plantas
Rechear seu café com mylanta
E desodorante de vagina

Que é pra ver se você volta
Que é pra ver se você vem
Que é pra ver se você volta pra mim

Nada ficou no lugar
Eu vou retalhar sua rede
Eu quero pinçar o seu buço
Tirar a pedrinha do Zippo
Eu vou engraxar seu coturno
Quebrar o CD da Betânia
Eu vou consertar seu joelho
E ainda riscar sua Pampa

Que é pra ver se você volta
Que é pra ver se você vem
Que é pra ver se você volta pra mim

Nada ficou no lugar
Eu vou é catar sua ex
Reaproveitar seu consolo
Encharcar o incenso chinês
Vou esvaziar o Azzaro
Depois vou cegar o seu trim
Esgaçar seu mocassim
E esfaquear seu xaxim

Que é pra ver se você volta
Que é pra ver se você vem
Que é pra ver se você ou sua ex voltam
Pra mim

coletivamente,


quarta-feira, março 10, 2004

Meninas, não se preocupem. Voltamos ilesas de nossa jornada!

terça-feira, março 09, 2004

eu, verti, jelly, sairems agora para uma pesquisa de campo.
se não voltarmos em 3 dias, por favor, chamem reforços.

gravemente,


aproveitando a onda do show do final de semana eu pergunto:

vcs preferem fat ou slim? pq eu sei que "boy" vcs nao preferem mesmo.


segunda-feira, março 08, 2004

Parabéns a todas, mulheres da rua, da chuva, da fazenda ou de uma casinha de sapá.. e as com ou sem pochete, sem ou com bigode e espero que ninguém saia queimada só por causa de um dia.
um abraço, com ou sem volume..

sexta-feira, março 05, 2004

O ::ChÁ CoM BoLaChAs:: volta com um tema
que é pra te deixar no mínimo com vontade:

::ChA CoM BoLaChAs MoLhAdAs::

Nas pick-ups a Barbie da Silva e a Aline vão fazer o show de sempre
e, além disso, vão receber nada mais nada menos que o Johnny Luxo.
Não é um luxo? Pois é, essa você não pode perder.

Festa com muita menina bonita e feliz da vida.
Pode ter certeza que você vai ficar molhadinha. E não só de suor ou banho de cerveja.

Nos vemos na quarta.

Beijinhos
A Vertiginosa e Barbie da Silva
________________________________________________________________________
::ChA CoM BoLaChAs MoLhAdAs:: - Quarta 10/03 - 22:30h - Matrix. R. Aspicuelta, 459
Com flyer: 5 ent. + 5 cons. / Sem Flyer: 8 ent. + 5 cons.
Não esqueça de imprimir seu flyer! Ele é o seu desconto!
Organização: A Vertiginosa + Barbie da Silva + Luiz Fernando


eu estou cansada.

(leia com voz de quem bebeu, fumou e jogou cartas.)

...mente,


CELESBIDADE

Maria Clara Jafiz é uma jornalista rica que caça no spot e no hotel lycra. Ela adora lesbiquinhas sesc pompéia/praça benedito calixto, que curtem raves, malabares e boinas tipo bob marley. Mas como seu pai e mentor, o transsexual Lambeu Vasconcelos, não aceita que ela viva junto com alguém fora do seu nível social, ela finge namorar Fernando Marcos, um homem sem personalidade e com orelhas devastadoramente grandes.
Fernando Marcos aceita o trato porque é gay, mas não tem coragem de assumir. Encontra seu namorado, Inácio, atrás de uma palmeira, onde ficam horas se abraçando e se beijando na testa.
No bairro do Sapataí fica o núcleo pobre da novela. Lá, as meninas todas se encontram pra tomar cerveja Itaipava de garrafa num boteco com mesas na rua chamado Famarol. É lá que as sapatinhas de beverly hills vão caçar engenheiras com seus capacetes reluzentes e executivas de contas com suas pastas enormes, ao som de Samantha, que toca violão e canta um repertório mais que suspeito há muitos anos. Sim, aquele banquinho ao lado do microfone já tem a forma da bunda dela.
Da janela da barbearia do bairro, Ubaldo espia o movimento das meninas e se masturba compulsivamente.
Beatriz vai muito ao Famarol, mas sempre disfarçada de Marilyn Manson. É que ele adora uma putinha, mas não pode deixar a namorada descobrir. Ela tem uma relação de anos com a bissexual Laura, por quem é perdidamente apaixonada. Vive sofrendo quando vê a namorada paquerar algum homem. É um lesbian drama que se repete: Laura trai com um homem e volta rastejando, pedindo desculpas, dizendo que ama e que isso nunca mais vai acontecer. Beatriz Manson não consegue deixar de perdoar, mas mesmo assim vai pro Sapataí e acaba comendo calabresa fora de casa. Arrependida e completamente bêbada, procura a ex-namorada, Nívea Maria, que mesmo tendo sido deixada há mais de 9 anos, ainda a ama, a protege, a aceita em casa e a enche de carinho. Desconfia-se que Nívea Maria abusa sexualmente de Beatriz Manson enquanto a mesma está desacordada de tão bêbada.
A trama da novela gira em torno de Nívea Maria. Durante muito tempo, no passado, ela foi casada com Maria Clara e a chamava de Minha Musa. Depois que se separaram ela começou a namorar Beatriz Manson e também a chamava assim. Por isso, até hoje as duas vivem brigando pra saber quem é a verdadeira “Musa do Sapatão”.

capituladamente,


quinta-feira, março 04, 2004

MULHER QUE ESCOLHE, AO COMPLETAR 18 ANOS, ALISTE-SE!

Você vai poder ingressar no Pelotão de Operações Especiais da Sapataria, que faz reconhecimento e terraplanagem dos campos de batalha, sapateando até deixar o terreno lisinho para que a infantaria possa invadir.
Você vai participar de treinamentos no matinho e dormir em alojamentos com outras 49 mulheres.
Também vai ter treinamento de tiro ao alvo (com aqueles bonequinhos de madeira que tem um alvo desenhado e a cara da A.C.) e de tiro indireto, que é quando a bala rebuceteia.
Poderá também andar de jipe, rastejar bastante que a gente sabe que você gosta, andar com calça camuflada e coturno e ter uma boa desculpa pra raspar o cabelo. Sem falar do boné!
A comida é como você está acostumada: igual à do farol. E pega superbem você tatuar o número do seu batalhão de mulheres no antebraço.
Venha se sentir a Demi Moore. Aliste-se na Sapataria do Exército Brasileiro.

disciplinadamente,


A rebuciranda também produz um fenômeno repetitivo da imitação e incorporação de valores alheios. Em outras palavras, derrepente, todas as ex e atuais usam os mesmos apelidinhos carinhosos entre elas, compram comidas nos mesmos mercadinhos escondidos que vc costumava ir, escutam suas musicas , utilizam suas vozes e por ai vai. Espero que a Ana Carolina seja uma moça, no minimo quieta, pra nao ter que aguentar as contraltinhas ela por ai.

FALÁCIA DO DIA

"O segredo da fidelidade é o segredo."

filosoficamente,


REBUCIRANDA

Fui na feira e comprei uma namorada. Fui na feira, comprei uma namorada, terminei e comprei a ex-namorada dela. Fui na feira, comprei uma namorada, terminei e comprei a ex-namorada dela, terminei e comprei uma que já foi namorada da ex-namorada da minha ex-namorada e da ex-namorada da minha namorada que é minha atual ex-namorada.

cafeinamente,


quarta-feira, março 03, 2004

CIRANDAS DE LÉSBICAS JÚNIORS

Lembram daquela brincadeira “fui na feira e comprei tomate”, “fui na feira e comprei tomate e cebola” e assim por diante? Então já que somos neuróticas, por que não inventamos versões lésbicas dessa história?

Por exemplo:

Fui no psicólogo e contei um trauma sobre aceitação familiar e auto-repressão. Fui no psicólogo e contei um trauma sobre aceitação familiar e auto-repressão e uma dificuldade de lidar com a figura paterna.

Continuem.

infantilmente,


QUEM NÃO AUTO-AJUDA, NÃO ATRAPALHA.

Ok, você não tem namorada. Não precisa se desesperar. Se você não tem a quem amar, ame a si mesma. Aqui vão dicas feng shota para quem quer obter o máximo de satisfação em um momento mais íntimo consigo mesma.

Coloque uma música gostosa como você. Se você é do tipo que grita muito, escolha uma música à altura, literalmente. Sepultura ou Tetê Espíndola.
Coloque velas perto da banheira. Outra boa dica sobre as velas é derramar cera quente em si mesma, evitando áreas que estarão expostas no dia seguinte. Os mamilos são especialmente sensíveis a este tipo de carícia.
Nota: prefira as velas aromáticas caso você escolha queimar alguma parte que tem pelos, elas encobrem o desagradável cheiro de cabelo queimado.
Não deixe a água da banheira muito quente, pode baixar a sua pressão e você não vai ter ânimo pra nada, depois vai ficar achando que a relação entre você e você está desgastada porque não tem mais sexo.
Se você for usar aparelhos que incluem eletricidade, evite a banheira. E segure bem pra ele não desaparecer no escuro.
Use e abuse da criatividade: abra sua geladeira, há um mundo de prazer lá dentro.
E que tal exercitar as fantasias? Sabe aquela famosa vontade de ser devorada por um entregador de pizza? Ponha em prática. Se você tiver 20 reais, peça uma pizza e veja se eles têm um entregador meio motoboy, meio michê. É uma delícia e chega quentinho. Se você não quiser, vá pelada pro corredor do edifício com uma caixa de pizza na mão, toque a sua campainha e realize-se ali mesmo.

Viu, amiga? A vida é um Playcenter. E se você não tiver criatividade, ela pode virar As Noites do Terror. Não se cobre demais, ame-se.
Você pode não ser tudo no mundo, mas é o mundo de alguém. Nem que este alguém seja você mesma.

Beijo no bico esquerdo do peito.

(compreensivamente)

QUEM NÃO AUTO-AJUDA, NÃO ATRAPALHA.

O futebol é uma grande metáfora da nossa tão conhecida guerra dos sexos. Como assim, perguntarão estupefatas algumas leitoras. Você está maluca, indagarão bem-humoradas outras. Eu explico.

Quando um homem joga futebol, ele pega a bola que seus companheiros tão gentilmente lhe lançam, correm até o adversário, desviam dele com a bola num movimento que se convencionou chamar de drible e, numa clara demonstração de espírito de equipe, serve a outro companheiro para que ele faça o gol.

Agora quando uma mulher está com a bola e se vê de frente com alguém do outro time ela simplesmente tenta atravessar a pessoa, sem a menor intenção de desviar dela. Ou seja, dessa disputa só se salva o que respingar e o acaso é o grande jogador.

Assim como no futebol, na vida também o encontro de duas mulheres é um choque galáctico, uma explosão, um confronto de duas vidas que colidem e tentam se atravessar.

Se este encontro vai dar certo, é impossível prever. Tudo depende de pra que lado a bola vai sobrar.

Por isso, amigas, se você sente que na sua vida nada se resolve com harmonia, se todos os eventos são recheados de lesbian drama, é porque você não sabe driblar.

Pare de tentar atravessar seu destino, você é feita de carne e osso e músculos e nervos e sangue, e o seu destino também.

Você é uma pessoa plena, inteira e não precisa se fundir com mais nada, apenas cercar-se, rodear, conviver e oferecer aquilo que a sua plenitude de mulher que escolhe tem de melhor: o dom da andar pela vida de cabeça e peitos erguidos.

Pra pensar mastigando um palito de incenso.

(compreensivamente)

BIG SISTER BRASIL

Se a Big me dá licença, a nossa grande irmã observadora, gostaria de usar seu nome para propor uma enquete.

Que seria: quem vcs mandariam pra casa, quem iria pro paredão, qual é o anjo, o prêmio, as regras e os patrocinadores do primeiro Big Brother Lésbico do Mundo?

Eu vou pruma reunião e quando voltar quero me divertir muito com as respostas.

bialmente,


terça-feira, março 02, 2004

THE LÉS FILES
(Ou, Arquivo XX)

Dana Escolhe e Kay Scarteta, depois de algum tempo tentando se infiltrar no Café Vermonstro, desanimam e desistem da operação disfarce. Analisam incansavelmente as provas, as fotos da cena do crime e não encontram nada. Entrevistam milhares de pessoas do Vermonstro e não conseguem uma única pista. É como se a vítima não existisse e muito menos o assassino. Quarta-feira, 1 da manhã, as duas estão no apartamento de Dana comendo pizza de frango com milho, fotos de um corpo despedaçado jogadas sobre a mesinha de centro, num quadro tão desolador quanto o estado de espírido das duas.

- Se ao menos a vítima fosse passiva...
- Como assim?
- Ela poderia ter as unhas compridas e poderíamos coletar material genético resultante de uma luta, debaixo delas...
- Tem razão... Mas nem isso. Bom, conforme-se, Kay, talvez este caso realmente não tenha solução.
- Ultimamente, nenhum dos meus casos tem solução. Mas nunca pensei que isso fosse acontecer no meu trabalho.
- Sua vida pessoal é assim porque vc deixa. Vc se auto-sabota, Kay.
- Pode cortar este papo Freud-Jung-Luma de Oliveira, Dan.
- É verdade. Por que mais seus casos não dariam certo? Você é uma mulher independente, inteligente, bem-sucedida, interessante, doce e incrivelmente sensual e bonita!
- ...
- ...
- Kay, desculpe, eu preciso falar disso.
- Melhor não, Dan.
- Eu não posso mais.
- Não é o momento, Dan. Tem um cadáver na nossa mesa de centro, e ele precisa de toda a nossa dedicação.
- É por isso, Kay.
- Isso?
- Isso. Assim nunca nada vai dar certo. Vc ama mais estes corpos mortos do que as mulheres vivas que estão ao seu lado, implorando por um pouco de atenção.
- Dana, chega!
- Só queria dizer mais uma coisa. A última.
- Acabe logo com isso.
- Eu consigo reduzir meu metabolismo de forma incrível, até ficar gelada, quase sem pulsação e bem paradinha. Só no caso de vc, sei lá, um dia, pensar a respeito.

Kay ri. Acende um cigarro. Lembra que não fuma e apaga. Na sola do próprio pé. Sorri de canto. Joga o cabelo pra trás. Olha nos olhos de Dana. Coloca a ponta do seu dedo a ponta do nariz daquela ruiva séria, que agora está transtornada no sofá da sua sala. No sofá que, de tão rasgado, está coberto por uma manta. Kay ri de novo e diz.

- Quem sabe um dia, Dan. Quem sabe um dia.

Sobe a música. Biafra. Voar, voar, subir, subir...

dramaticamente,


segunda-feira, março 01, 2004

Eu queria agradecer à minha manicure que cuida tão bem, sem preconceitos ou qualquer nojo, dos meus órgãos sexuais, aos produtores de vinho branco, aos fabricantes de velas que boiam na banheira, aos pais da minha melhor amiga, a quem me dá emprego mesmo eu sendo como sou, desviada, invertida, uraniana, à Miramax por alguma razão, à academia por ter feito uma festa tão cheia de mulheres lindas, embora mediocremente vestidas, à Naomi Watts, aos restaurantes moderninhos por nos oferecerem ambiente neutro e descontraído para podermos dar andamento às nossas paqueras, a todos que não me deram cds da Ana Carolina, aos tradutores do SBT por terem feito a festa mais emocionante, a vcs, leitoras, por serem tão estranhas.

e vcs, a quem agradecem?

temporariamente,


This page is powered by Blogger. Isn't yours?